06/06/2009 - Ordo Noctis: Defacer - BH, Wisdom - PY, Torqverem - SP, Dark Opus - MG, Ophiolatry - SP, Agouro - SP, Inhumane Rites - SP, no Hammer Rock Bar

Foi realizado no ultimo dia 06/06 no HAMMER ROCK BAR, o festival ORDO NOCTIS, que trouxe para Campinas 6 hordas do cenário do metal negro nacional, e a paraguaia Wisdow.

Nesta fria noite de sábado, o bom público presente ao HAMMER pode conferir o porquê de nossa cena black metal ser tão bem falada pelo resto do mundo.

A primeira banda que pudemos conferir foi o DARK OPUS, de BH, que nesta apresentação tocou sem baixista, tendo o teclado feito as vezes do instrumento faltante. O som da banda é um black metal atmosférico, com bastante passagens de teclado, porém sempre duro e veloz, e fizeram uma apresentação competente, porém um tanto quanto fria no sentido de agitar o público. A banda levou muito bem seu som aos presentes e fica a espera por um show maior e com todos integrantes.

Após o Dark Opus, foi a vez da banda organizadora do festival se apresentar, o TORQVEREM, que agradou aos bangers presentes com seu black metal nihiilista e ríspido, influenciado pelas primeiras bandas norueguesas do gênero. A entrada da banda em palco foi com o vocal/guitarrista Necrovisceral comendo um belo pedaço de carne crua, para desespero de alguns vegetarianos presentes e os de estômago fraco. Com relação ao show em si, a banda teve uma boa performance (tirando alguns problemas do vocal com o pedestal do microfone) e apresentou composições próprias tais como a intro Exercito de Barathrum e Cruor Noctis.

Seguindo com os shows, a próxima banda foi o AGOURO que fez um dos melhores shows da noite, apresentando um black metal extremamente agressivo e bem tocado, na linha Marduk e Dark Funeral. Interessante notar que a banda também toca sem baixista, o que não afeta em nada o poderio do trio. Tocaram sons próprios como Satanic Triumph e Infinity Black Cosmo e deixaram o palco aclamados pelos presentes. Bela apresentação desta promissora banda black metal.

Os próximos a se apresentarem foram os belo horizontinos do DEFACER, veterana banda da cena black nacional. Eles tocam um black metal sinfônico, com algumas incursões de metal tradicional, que enriquece bastante o som da banda. Eles também possuem uma bela presença de palco, o que contribui para um show com boa resposta e participação do público. Talvez o fato de as músicas serem um tanto quanto compridas e com várias passagens mais “calmas”, pode prejudicar um pouco o punch do show, porém não estraga a apresentação. Legal notar que junto à banda veio uma caravana de BH e a cada intervalo entre as musicas o vocalista/ tecladista Incredulous Cataclism agradecia fervorosamente a presença destes e de todos bangers presentes. Belo show dos mineiros, que foram bastante elogiados pelos bangers.

Após meus conterrâneos mineiros, foi hora da banda paraguaia WISDOM tocar no HAMMER, e a despeito de seu país de origem, o som da banda não é de qualidade duvidosa como os produtos de seu país natal. Black metal esporrento da mais alta qualidade foi o que vimos durante todo o show dos hermanos. Destaque total para o baterista/vocalista Seldrack que não perdeu o ritmo uma vez sequer no show, e possui um vocal bastante poderoso. É claro que a falta de um frontman na banda prejudica um pouco a apresentação, mas a performance do guitarrista Khaos e do baixista Pomber (com seu visual no mínimo diferente) compensou tal falta, pois os dois agitam o tempo inteiro. Durante a apresentação tocaram sons como The Light of Hell, Behold The Beast of The South e outros de sua promissora carreira. Olho vivo nessa banda.

Para fechar o festival, tivemos a presença dos batalhadores do death metal nacional OPHIOLATRY, que mais uma vez detonou tudo em cima do palco. Tocando um death/black extremamente brutal e rápido (batizado por eles de SATANCORE) , a banda fez uma apresentação de 35 minutos na qual a tônica foi a ignorância sonora. Baseando seu set no ultimo cd Transmutation a banda tocou músicas como deste play Neuropsychoperverse, Diabolism e outras como Messiah of Deformity e The Legacy of Malignant Tumour de cds anteriores. Talvez pelo fato de ter entrado para tocar quase as 04:00 da manhã tenha feito com que o público não tenha participado tão ativamente do show, porém quem assistiu, certamente ficou satisfeito com tamanha brutalidade musical.

O saldo final do festival foi positivo, e o bom público presente atesta tal afirmação. Que venham outros como esse!!

Daniel Beraldo
Grupo Metal Rise

 


Site criado por Suzana de Oliveira