07/02/2009 - Underground Hordes Festival - SACTOR, REVIOLENCE, OLIGARQUIA E TEMPESTILENCE, no Hammer Rock Bar
Ver fotos

O dia 07/02/2009 marcou o início das atrações mais extremas no HAMMER, com a realização do mini-fest UNDERGROUND HORDES FESTIVAL, organizado pela VAMPIRIA RECORDS, em parceria com o Hammer .Tivemos com este festival uma bela mescla entre thrash e death, com as bandas SACTOR (thrash), Reviolence (thrash), Tempestilence (death) e Oligarquia (death), O público até que compareceu em bom número, mostrando que é sempre viável trazer tais estilos para o HAMMER.

A primeira banda a se apresentar foi o SACTOR que, a despeito de ser a banda mais nova dentre as quatro, foi a que apresentou, sem dúvida alguma, o melhor show da noite. Essa banda formada por jovens de Valinhos é digna representante do thrash metal old school e não deixou pedra sobre pedra nessa apresentação. Os vocais são divididos entre o guita Jão e o baixista Léo e os dois possuem timbres totalmente condizentes com o estilo, e essa variação de vocais torna o som da banda diferenciado entre as demais. Apresentando sons de sua demo como Attack, Fear and Disgrace, e Consequences of War e também fazendo justas homenagens a Slayer, Sepultura e Tankard, em seu set de pouco mais de 40 minutos, a banda demonstrou estar muito bem ensaiada e evoluindo a cada dia. Destaque para o baterista Rambo, que está tocando como nunca. Olho vivo para esta banda, uma das grandes promessas para o thrash nacional este ano.

A segunda banda a subir no palco foi o REVIOLENCE, banda de thrash de SP. Na formação do grupo temos dois ex-membros da banda PANZER, o batera Edson e o baixista Mauricio, e completam a formação o guitarrista Guilherme e o vocalista Carlos. O grupo está divulgando seu EP “Phoenix Rising”, que vem sendo elogiado pelos meios de comunicação especializados. A despeito de o show ter sido tecnicamente perfeito, e dos músicos serem extremamente profissionais, a banda não conseguiu empolgar o público em nenhum momento da apresentação. O thrash tocado por eles é muito reto, sem muita variação, parece que a banda se esqueceu de “pisar no acelerador”, e com isso tivemos um show bastante morno.



Após o Reviolence, foi a vez de uma das bandas mais tradicionais do death nacional subir ao palco, o OLIGARQUIA. Na ativa desde o longínquo ano de 1992, o grupo toca o que há de mais tradicional e old school no Death Metal. Nada de firulas desnecessárias, nada de arranjos bonitinhos... Aqui só há espaço para vocais guturais, guitarras distorcidas e batera destruidora. Fazendo um set bem balanceado entre seus dois cds lançados e apresentando músicas que estarão em seu próximo álbum, a apresentação da banda fez a alegria dos fãs de death. Devemos destacar na banda o novo vocalista Max Hideo, dono de um gogó poderoso e que trouxe nova vida para as antigas músicas do grupo, o restante da banda, formado pelo batera Panda, os guitarristas Roque e Guilherme e o baixista Artour também tiveram ótima performance e o show conseguiu agradar a maioria dos presentes na casa.

Para fechar o evento, quem tocou foram os campineiros do TEMPESTILENCE. A banda teve uma evolução gigantesca com a entrada do baterista Daniel Beraldo (sim, meu xará de nome e sobrenome) e pudemos confirmar tal afirmação nesta noite. Apresentando um death com algumas influências de black metal, o grupo tocou músicas de suas duas demos, como Macabre Rituals of Death e Cold Dark Era, e ainda teve tempo de homenagear os suecos do GRAVE, fechando o show com a clássica You`ll Never See... A banda, completada por Fabio Lupus( guita e vocais) e Gabriel Di Lorenzo ( baixo), fez um belo show e fechou com dignidade o festival.


Mais uma vez tivemos uma bela noite de metal extremo organizado pelo batalhador Baron Von, e devemos parabenizar bandas e público pela qualidade do evento.

METAL UP YOUR ASS!!!!!!!!!!

Daniel Beraldo
Grupo Metal Rise

 


Site criado por Suzana de Oliveira