08/02/2009 - Torture Squad e Bestial Atrocity, no Benjamin Rock Bar (Piracicaba)
Ver fotos

Tendo como atração principal o TORTURE SQUAD, em seus últimos shows no Brasil antes da turnê gringa, a VAMPIRIA RECORDS realizou mais um belíssimo evento de metal extremo em Piracicaba, no último dia 08/02. Contando em seu cast, além da atração principal, com as bandas CRUSCIFIRE, MADNESS, EXHORTATION e BESTIAL ATROCITY, o festival reafirmou a força do death metal nacional.

Devido a outros compromissos profissionais e principalmente, à chuva que castigou Campinas no dia, nós, da equipe METAL RISE, só conseguimos chegar ao local às 18:30, e consequentemente só vimos os dois últimos shows, que fizeram valer a pena todo o esforço de nosso “time”.

No local, um público considerável e ávido por metal viu o BESTIAL ATROCITY fazer uma apresentação digna de uma banda que já vem há anos destilando seu metal da morte com honestidade e fidelidade às raízes do estilo. O som da banda é um death/black inspirado na fase oitentista do gênero, na linha de bandas como Hellhammer, Blasphemy e Sarcófago. Neste show, a banda apresentou sons de suas demos e também do debut que está por vir, ODES TO SATAN. No set de pouco mais de meia hora, músicas como Elizabeth Bathory, Odes To Satan, Negra Majestade e Satanic Rites, fizeram a alegria dos bangers presentes, que ainda foram presenteados com um cover de Bathory. Por se tratar de um show “em casa”, a performance do grupo foi bem relaxada e os músicos demonstraram um entrosamento bem grande. A banda, que é formada por Baron Von nos vocais, L. Infernal God e War Commander nas guitarras, H Tumor Blast na bateria e R. Dekapitator no baixo, está de parabéns pela ótima apresentação, honrando a tradição do death metal nacional.

Após uma pausa para ajustes no som e montagem da bateria, eis que o TORTURE SQUAD sobe ao palco já detonando tudo com Living for the Kill, do ultimo álbum Hellbound. Sem tempo para o público respirar, eles já emendam The Beast Whitin, do mesmo álbum. Tocando músicas de todas as fases da carreira, a banda levou sons como Murder of a God, The Unholly Spell, Chaos Corporation, Towers on Fire , Pandemoniume Horror and Torture.
Alguns, como eu, podem até dizer que o som da banda é um pouco repetitivo e segue uma mesma fórmula, mas é tudo feito com tanto profissionalismo, honestidade e, mais importante, conhecimento de causa, que é impossível não apreciar o som dos caras.

A performance da banda em cima do palco é qualquer coisa de absurdo... O baixista Castor não pára de bangear e agitar durante um segundo sequer e o novo guitarrista Augusto Lopes se mostrou uma ótima aquisição para a banda, já que além de tocar muito também tem uma postura em palco muito boa. O baterista Amílcar Christofáro é um verdadeiro polvo na batera, possui uma técnica invejável e bate forte, mas muito forte no seu instrumento. Já o vocalista Vitor Rodrigues é um caso à parte. Desde sempre um vocalista acima da média, ele vem se tornando com o tempo um dos grandes frontman da cena nacional E não estou falando somente da cena extrema não, pois é impressionante o carisma e presença de palco desta cara. Desde o primeiro minuto do show ele teve o público nas mãos, e mesmo durante uma pausa no show para ajustes técnicos, ele manteve o pessoal entretido, conversando com todos e aproveitando para agradecer a presença dos bangers.

Esse show somente confirmou que o Esquadrão da Tortura é hoje, ao lado do Krisiun, a maior força do metal extremo nacional.

Mais uma vez parabéns as bandas e a organização pelo belo evento realizado.

Daniel Beraldo
Grupo Metal Rise

 


Site criado por Suzana de Oliveira