18/12/2008 - Metal Christmas Fest, com André Matos e Hangar, no Hammer Rock Bar
Ver fotos

No último mês do ano de 2008, tivemos uma mini tour especial com as bandas André Matos e Hangar, o Metal Christmas Fest, e no dia 19 elas aportaram aqui em Campinas para fechar com chave de ouro o ano em nossa cidade. Dias antes do evento noticias davam conta de um suposto cancelamento dos shows, o que felizmente acabou não ocorrendo. Tal cancelamento poderia ser explicado pelo fato que a produtora da tour deixou as bandas na mão ao abandonar o compromisso no meio da tour, o que trouxe prejuízo considerável para as bandas, porém numa demonstração ímpar de profissionalismo e amor á musica, as bandas decidiram continuar com todos compromissos agendados, a fim de não trazer prejuízos e transtornos para os fãs. Atitude corretíssima das bandas.

Ao chegar no HAMMER ROCK BAR nos deparamos com um movimento considerável de pessoas do lado de fora, todas bastante ansiosas para verem ao vivo uma das maiores bandas de melódico do país o HANGAR, e o ícone eterno do metal nacional, ANDRÈ MATOS, que agora está em carreira solo.
Devido a fatos já comentados anteriormente, o show contou com um atraso considerável para ser iniciado, o que aumentou ainda mais a expectativa dos fãs.

O Hangar subiu ao palco as 11:45 já detonando tudo com JUST THE BEGINNING e desde a primeira nota já pudemos notar que o som estava perfeito, com todos instrumentos nítidos e bem timbrados, com destaque especial para o kit de bateria ‘monstro’ de Aquiles.

O som da banda é um metal melódico/prog muito bem composto e executado que utiliza de algumas influências de thrash para deixar o som mais pesado, o que, na minha opinião, destaca a banda dos concorrentes. A banda, formada por Nando Fernandes (vocal), Nando Melo (baixo), Eduardo Martinez (guitarra), Fabio Laguna (teclados) e Aquiles Priester (bateria) privilegiou seu último lançamento, o ótimo THE REASON OF YOUR CONVICTION, de onde tocou musicas como FORGIVE THE PAIN, CALL ME IN THE NAME OF DEATH, HASTINESS dentre outras, mas também tocou músicas mais antigas, como SAVIOR e TO TAME A LAND (nada haver com Maiden), além do medley com musicas do primeiro álbum LAST TIME, que deixou os fãs mais antigos satisfeitos.

A performance dos músicos é soberba, e o currículo deles já fala por si só, porém não tenho como deixar de comentar a performance do guitarrista Eduardo e de Aquiles, pois os dois, além de serem músicos virtuosos, ‘descem a mão’ em seus respectivos instrumentos e são responsáveis por grande parte do peso ‘extra’ que a banda tem ao vivo. O vocalista Nando Fernandes, apontado como um dos melhores em atividade no país, realmente é um grande vocalista, dono de uma voz privilegiada, porém não empolga tanto como frontman (mas nada que atrapalhe a performance da banda).

Durante o show inteiro os fãs cantaram as músicas e agitaram com a banda demonstrando grande excitação por ver a banda pela 1° vez em Campinas. No fim do show a banda ainda tocou um medley com varias músicas do IRON MAIDEN (teve desde ALEXANDER THE GREAT até THE SIGN OF THE CROSS) que foi muito bem recebido pelos presentes.

Após uma hora de show, a banda deixa o palco aclamada pelo público, afinal, quando o profissionalismo anda lado a lado com a música pesada o resultado só pode ser esse: show fodido, público satisfeito!

Após modificações de instrumentos e acertos no som, eis que chega a hora de um dos maiores ícones do metal nacional entrar em cena, ANDRÉ MATOS, agora em carreira solo, retornava a Campinas, após alguns anos longe de nossa cidade.

Tudo pronto, eis que surgem os irmãos Mariutti, Hugo e Luis, e logo após entra em cena o guitarrista André Hernandes, seguido do batera Eloy Casagrande e do tecladista Fabio Ribeiro. Eles começam executando a introdução MENUETT do CD TIME TO BE FREE, o primeiro e único da banda. Quando emendam LETTING GO, o ‘mestre’ aparece em cena, com um carisma inigualável. Durante a execução das 3 primeiras músicas, o som do vocal de André estava MUITO baixo, porém após isso ser sanado o que vimos foi uma performance impecável do maior vocalista da história do heavy metal nacional. Na primeira parte do show André deu ênfase à sua carreira solo, tocando músicas com RIO, LOOKING BACK e outras do cd TBF. Após essa primeira parte do show, temos o 1° clássico da noite, ANGELS CRY do cd homônimo do Angra, e que alegria escutar de novo essa música na voz de quem a gravou originalmente. O vocal de André parece melhor com o tempo, e essa versão foi uma das melhores que pude presenciar ao vivo, com todos executando a música inteira com perfeição. Após essa, eles tocam uma música do SHAMAN, a pesada DISTANT THUNDER e pudemos constatar que, apesar de apresentar músicas de 3 bandas diferentes pelas quais passou, o set é muito bem balanceado entre clássicos e músicas mais novas, coisas de quem sabe o que está fazendo. Após o fim da música, André fala pela primeira vez com o público, agradecendo a todos pela presença e nos explicando o porquê do atraso e do quase cancelamento, uma atitude corretíssima por parte da banda. Logo após, André disse que a próxima música seria das antigas e eis que eles executam LIVING FOR THE NIGHT, do Viper. Devo confessar que quase fui às lágrimas ao escutar tal obra prima ao vivo, e a fidelidade com que foi tocada é de se tirar o chapéu. Após essa primeira parte do show, é chegada a hora dos solos, o primeiro foi o guitar André, que demonstrou toda sua técnica e feeling num solo rápido e bonito. Logo depois foi a vez do baterista Eloy Casagrande, e aqui terei de fazer todos os elogios possíveis.... INCRÍVEL< SENSACIONAL< IMPRESSIONANTE< FODIDO!!!!!! PQP fazia tempo, muito tempo, que não me impressionava tanto com algum instrumentista quanto esse Eloy me impressionou. Durante o solo ele massacrou sem dó nem piedade bumbos, pratos, chimbals, peles, com uma velocidade e precisão de fazer inveja a muito baterista famoso aí. Com toda certeza um dos maiores massacres de bateria que já vi ao vivo. Se já não é, logo logo, Eloy será o maior baterista do Brasil e um dos maiores do mundo. Detalhe importante a ser dito: o moleque tem apenas 18 anos (??????????????????).
Voltando ao show, mais uma música do Angra é executada, dessa vez NOTHING TO SAY, uma das mais pesadas da carreira da banda. Ainda tivemos tempo para outra do Angra, a bela balada LISBON, antes de o André voltar a executar músicas de sua carreira solo. Já chegando perto do final, a banda ainda tocou a famosa “música da novela”
FAIRY TALE, que foi devidamente aclamada pelo público. Após apresentar a banda, André agradece os presentes e anuncia a derradeira da noite, e não poderia ser outra a não ser CARRY ON. Bom, essa música já passou faz tempo de ser um clássico do ANGRA, e hoje é um clássico do metal nacional. Sua execução ao vivo foi digna dos mais entusiasmados elogios. Mais um grande show daquele que, sem dúvida alguma, é e sempre será um dos grandes ícones do metal nacional.


Parabéns às bandas e ao HAMMER ROCK BAR que, mesmo com todos problemas e dificuldades enfrentadas, nos brindaram com um ótimo show, com produção de palco impecável, som cristalino e pesado, um espetáculo de heavy metal deveras digno.

Daniel Beraldo
Grupo Metal Rise

 


Site criado por Suzana de Oliveira