23/08/2008 - Bestial Offering Festival

Noite fraca onde moro, já há algumas semanas tinha combinado com umas amigas cair pra Pira, pois o line-up deste festival prometia um verdadeiro deleite a apreciadores de metal extremo. Pena que das 10 anunciadas, 2 ficaram de fora - o Clawn ficou sem baterista na semana anterior ao show, e o Trator BR cancelou sua apresentação. Não pude também assistir ao death do Allyenation (por motivo de força maior), então faço o "mea culpa" e fico devendo uma resenha decente pros caras!

Como estava impossibilitado de sair de Campinas antes, acabei perdendo as 2 bandas que mais queria (re)ver: o Corporate Death e o Havok já tinham mandado seu recado quando cheguei lá. Por mais que já tenho visto o brutal death de ambos diversas vezes, sempre é bom assistir um pessoal que faz seu trabalho com competência, vigor e seriedade. Assim sendo, só me restava aguardar o Bestial Atrocity entrar em cena…

A primeira coisa que saltou à vista (e aos ouvidos) é o quanto a adição do 2º guitar, War Commander, enriqueceu o som da banda. Já tinha rolado uma participação num show em Campinas e ele tocou da abertura para o Possessed, mas esse 1º show que assisti da banda como quinteto me impressionou. De longe, foi a melhor performance que vi do Baron - vomitou suas blasfêmias com mais raiva que o usual, e a banda toda mostrou muita energia em seus shows, que já são clássicos… sem sombra de dúvida, uma "abertura" com chave de ouro.

Seguiu o Collapse NR, e a banda me impressionou muito positivamente com seu death/grind. Já tinha ouvido falar da banda de forma, digamos, não muito elogiosa - mas a pancadaria sonora dos caras é realmente uma beleza ao vivo! Também é o mínimo que se espera com uma banda há mais de 10 anos na estrada… e o profissionalismo deles se nota em outros pequenos detalhes também, como na sua banca de merchandise com produtos de altíssima qualidade. Uma excelente surpresa, taí mais uma banda pra mim começar a prestar atenção e acompanhar mais performances.

Na seqüência veio o Alocer de Curitiba, que pra mim foi a melhor da noite. Confesso que há um tempo não tenho mais paciência pra escutar black metal, mas ouvir um som de uma estirpe assim superior é um verdadeiro deleite. O quarteto mandou músicas de seu álbum numa agressividade e morbidez incríveis, demonstrando total domínio de palco e interação com o público - atitude exemplar e nem sempre presente em shows da linha… além do mais foi excelente rever o Shaitan (ex-Evilwar) capitenando um massacre desses. Excelente, nada menos!

Adentra o palco, então, esse trator desgraçado que é o Desdominus: qualquer um que assiste ao show dos caras fica com o queixo no chão. Precisão única na execução de seus sons, presença cênica excelente, feeling em cada acorde e batida. Não sou o único em afirmar, em círculos underground, que essa banda merece MUITO mais reconhecimento por sua batalha e tudo que fazem pela cena. Ficar dissertando uma lista de elogios pra som dos caras, altamente influenciado pela cena extrema sueca, é mera redundância… só tá falta registrarem em CD um material mais novo! Sem palavras pro som que a turma do Paolo sempre manda, metal de primeiríssimo naipe.

Já tarde da madrugada, os que bravamente resistiram acompanharam o Madness mandar seu recado. Não é a primeira vez que assisto a banda, e sua evolução se faz presente a capa apresentação. Sua música brutal se mostra cada dia mais coesa e segura, e sua afirmação entre os melhores na cena paulista não tarda a chegar - a banda tem competência de sobra para tal, e ralam mesmo na estrada. Pena o público já estar bem cansado pela maratona, e reduzido… mas é o preço que bandas e público pagam por festivais longos. Não é uma reclamação (porque quem está no meio está perfeitamente ciente dessa condição), mas uma simples constatação…

Voltei pra Campinas (com a gasolina acabando na estrada, detalhe) bem cansado, mas com os ouvidos zumbindo e satisfeito por presenciar mais um grande desfile de brutalidade musical. Mando ainda meu muito obrigado ao Baron pela organização e convite, e parabéns pela luta que mantém pelo underground em tantos anos de atividade. Mal posso aguardar pra voltar a Piracicaba em eventos como o desta noite!

Glauco "Sarco"
Colaborador Metal Rise

 


Site criado por Suzana de Oliveira