10/01/2009 - Blaze Bayley e Winter Sky, no Hammer Rock Bar

A 2 ° semana de Janeiro marcou o início da temporada de shows internacionais no Brasil com a vinda da banda solo do vocalista Blaze Bayley, e o HAMMER ROCK BAR foi o local escolhido pela banda para realizar seu show na cidade de Campinas.
No sábado, dia 10 ao chegar no HAMMER, me surpreendi com a pouca movimentação de pessoas no bar, nem parecia que iria ter show, era a impressão deixada por tal visão...E isso foi o único ponto fraco da noite, a falta de público, já que de resto tudo ocorreu dentro da normalidade.

Por motivos alheios à minha vontade, só consegui assistir a metade da apresentação da banda de abertura, o competente WINTER SKY, banda de metal de Campinas.

A banda, formada por Vainus (guitarra e vocal), Marcio (guitarra) e Pikeno (baixo) contou nesta apresentação com a ajuda do baterista Cristiano. Os músicos são jovens e bastante competentes, e fazem um som puxado para o lado tradicional do gênero com pitadas de metal melódico e até um pouco de hard rock, o que atesta positivamente para a banda. Tocando músicas próprias e incrementando sua apresentação com 2 covers, (a saber, Eye of the Tiger, do Survivor, e Flight of Icarus, do Maiden), a banda pecou apenas pela pouca movimentação e presença de palco de seus integrantes, pois todas músicas foram tocadas de maneira impecável. Destaque para a faixa Find your Dreams, bem legal mesmo! Parabéns a banda pelo show deveras competente apresentado.

Após o show dos campineiros, os últimos detalhes começaram a ser acertados no HAMMER, e a partir deste momento, um clima de apreensão tomou conta do local, pois um chiado insistente e irritante saindo da mesa de som quase pois a apresentação da atração principal da noite em risco... Após cerca de 50 minutos de espera, um dos produtores da banda sobe ao palco e diz que, em respeito aos ( poucos) fãs presentes Blaze iria subir e fazer o show, mesmo com os problemas apresentados.


Eis que então a banda entra no palco e, por algum milagre dos Deuses do Metal, o chiado simplesmente SUMIU, e o som ficou praticamente perfeito durante o resto da noite! Quando o vocalista BLAZE apareceu na escada que dá acesso ao palco os fãs foram a loucura, o que se arrastou por todo o show. A banda entrou de cara tocando a poderosa The Man Who Would Not Die faixa titulo de seu último cd, e de cara percebemos a enorme competência e habilidade da banda que o acompanha. Além de ótimos músicos, Nico Bermudez e Jay Walsh (guitarras) David Bermudez (baixo) e Larry Patterson ( baterista) agitaram durante o set inteiro, numa performance extremamente agressiva e intensa. Seguindo o show com Blackmailer e Smile Back at Death, também do ultimo cd, notamos desde o começo que, apesar de pequeno, o público era composto por fãs fiéis do vocalista pois TODAS músicas foram cantadas pelos mesmos. O vocalista pela primeira vez fala com o público, pede desculpas pelos transtornos antes do show, se diz muito feliz em voltar ao Brasil e anuncia Lord of the Flies, a primeira das 7 músicas que tocou de sua fase com o Iron Maiden. Para a minha grande surpresa, eles tocaram a bela Edge of Darknes, minha música preferida da seu periodo no Iron, e que o próprio Maiden nunca tocou ao vivo. Blaze é hoje um vocalista muito melhor que em 1996, e pudemos notar isso nas músicas do Maiden, pois sua performance hoje é infinitamente superior. De sua ex banda ainda tocaram Sign of The Cross, Man on the Edge , Futureal , Vírus ( totalmente anticlimática e chata, o ponto fraco da noite) e The Clansman, todas, claro, foram devidamente ovacionadas pelo público.

O set list foi bem balanceado entre os cd´s de sua carreira solo, tocando músicas de todos seus álbuns, dentre elas Kill and Destroy, Stare at the Sun, Alive, Voices from the past dentre outras. È interessante notar que com o passar do tempo o som da banda BLAZE tem se tornado mais agressivo e direto, como podemos constatar em sons como Robot e Samurai, também tocados nessa noite.

Como já falado anteriormente a performance de Blaze realmente impressionou, já que hoje é um vocalista muito mais seguro e ciente de seus dotes e limitações, o que contribuiu para a performance impecável durante o show. E aqui devo confessar que Blaze apagou por completo a má impressão deixada por ele quando de sua passagem com o Iron pelo Brasil, no já longinquo ano de 1996.

Com relação à presença de palco, Blaze novamente surpreendeu a todos com uma presença de palco absolutamente empolgada e precisa, nem de longe lembrando a estátua que era antigamente.... È gratificante ver que mesmo após os terríveis acontecimentos que abateram Blaze ano passado, hoje ele está feliz e com foco total à sua banda, parecendo até que está cantando com mais gana e agressividade. Era vísivel que em alguns momentos do show, principalmente nas musicas mais novas, o vocalista realmente se emocionou, talvez devido a carga sentimental de tais músicas para ele.

Em suma foi um belissimo show de METAL, que nos atesta novamente que, apesar de falarem o contrário, o estilo de música mais apaixonante do mundo continua firme e forte no coração de seus verdadeiros fãs!

HEAVY METAL IS THE LAW!

Daniel Beraldo
Grupo Metal Rise

 


Site criado por Suzana de Oliveira